terça-feira, 17 de julho de 2018

Trama [promo noite 2005] - compilação vários (promocional)

Capa

Trama promo noite é uma coletânea de canções e remixes editada em 2005, pela gravadora TRAMA.

Fazendo uma comparação entre a TRAMA e as outras gravadoras brasileiras, é possível observar que, na maioria dos casos, para as outras gravadoras era relativamente fácil pegar um artista famoso, com uma música conhecida ou um grupo de canções de sucesso desse artista, remixar as faixas, e jogar no mercado esperando mais sucesso. Afinal, a fórmula já estava pronta!

Dadas às proporções, a gravadora TRAMA não contava com o pré-sucesso de seus artistas, era preciso fazer a cena dance acontecer a partir do zero.

..............(comentário do leitor)
- Hummmmmmm não tinha me dado conta disso!
- Dessa forma, era mais oportuno pegar uma música pronta e fazer um remix bonitinho, que o sucesso do remix estava garantido!

Pois é, existe uma frase que diz: “É fácil fazer caridade com o dinheiro dos outros.” Neste sentido, remixar uma canção conhecida e famosa, encurtava todo o “caminho das pedras” que o remix geralmente tinha que percorrer para atingir o sucesso! Tanto nas rádios, quanto nos clubes.
Contracapa

A seleção musical apresenta 15 faixas com versões e remixes de vários artistas brasileiros que faziam parte do elenco da gravadora TRAMA, naquela época. Entre os destaques, a equipe do blog curtiu os remixes bem empolgantes para as canções Dias de sol (Cj williams klassic extended) da cantora Patrícia Marx e Giramundo (Tchorta & Medeiros progressive mix) da artista Fernanda Porto. As outras faixas são indicadas para animar programas de rádio e ambientes como Lounges e Chill outs.

A compilação possui as seguintes canções:

1- Rappin´ hood – Us guerreiro (Nigthclub version) 5´40
2- Silvera – Canto (Original version) 4´00
3- Silvera – Canto (Vitrola All stars remix) 4´02
4- Parteum – O círculo (remix) 3´04
5- Claudio Zoli – Manhãs de maio (Mad Zoo classic tube sessions) 3´14
6- Patrícia Marx – Dias de sol (Original version) 3´22
7- Patrícia Marx – Dias de sol (Cj williams klassic extended) 5´35
8- Daniel Carlomagno – Acontece que ela tem namorado(Original version) 5´08
9- Daniel Carlomagno – Acontece que ela tem namorado (Silver remix) 4´26
10- Anderson Soares – Look to the sky (Original version) 4´27
11- Bruno E. – Dado (Nu era remix) 6´14
12- Fernanda Porto – Giramundo (Tchorta & Medeiros mix) 6´41
13- Caju e Castanha – Bunitin, Cherozin, charmozin (Drumba bunitin) 3´50
14- Franz Ferdinand – This fire (Playgroup remix) 8´08 *
15- Fernanda Porto – Giramundo (Tchorta & Medeiros progressive mix) 6´48
CD 

* O Cd promocional não foi lançado em vinil.

** Exceção: O artista Fran Ferdinand * não é brasileiro.

*** Algumas canções incluídas na compilação foram editadas em singles individuais.

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Que fim levou Robin? - No país de Laura Roitman + remix (álbum)

Capa

Para a equipe do Brasilremixes, a proposta utilizada pelo grupo Que fim levou Robin? na produção do álbum No país de Laura Roitman (2006), está explicitamente voltada para um contexto, digamos.... mais libidinoso, se comparado com o primeiro algum do grupo Aqui não tem Chanel (1991), que explorava uma atmosfera musical de pura diversão.  
Encarte 1

Quem trabalha com a cena musical eletrônica sabe que não é por lançar um álbum voltado para o estilo de Dance Music, que todo o povo que aprecia dance vai curtir. A citação também é verdadeira para qualquer outro estilo musical. Acontece que de 1991 a 2006, temos 15 anos de distância entre um lançamento e outro. E, convenhamos, 15 anos é tempo suficiente para a troca de geração. Ou seja, a galera que dançava nos clubes em 1991 não é a mesma galera que dançou nos clubes em 2006. Consequentemente, o público que curtiu o QFLR de uma época não era o mesmo da outra. Afinal, estamos diante de brincadeiras, piadas, desejos, olhares e entendimentos musicais diferentes. O ponto positivo do álbum foi a coragem do pessoal, que trabalhou muito para fazer algo diferente da maioria dos projetos musicais eletrônicos, que estavam atuando no país, no início do novo milênio. 
Encarte 2
Encarte 3
Encarte 4
Encarte 5
Encarte 6

O Cd No país de Laura Roitman do QFLR, lançado pela gravadora Paradoxx, fez uma aposta interessante, porém não conseguiu alcançar muita repercussão, diante das inúmeras opções eletrônicas que haviam na época. Já afirmamos, em outras resenhas que o mercado musical brasileiro é gigante, complicado, confuso e competitivo. Por isso, a equipe do blog lembra, que não basta ser um trabalho bom. No caso do Brasil, também é preciso observar o ambiente musical das pessoas, e o modelo de dance que a maior parte dos consumidores estão interessados em curtir em determinado momento. Não há no Brasil ainda, um público diversificado para sustentar a carreira dos artistas, que atuam em vários estilos e subgêneros da música eletrônica. 

Contracapa

As canções, Channel 2004 (Bebete mix), Dance with me, Pra te dar, Fashion (Raffa nunes rmx), Dark Room (Level club rmx) e Robin´s theme, foram os destaques do Cd, que ganharam a atenção da equipe do Brasilremixes. A concepção musical dançante do álbum teve a participação de Mauro Borges, Nanny, Elaine MF e Anna Gelinskas.
CD

O Cd possui as seguintes canções:

1- Chanel 2004 (Bebete mix) 4:03
2- Crazy In Underwear 4:03
3- Dark Room 3:30
5- Poser 3:28
6- Dance With Me 4:07
7- Fashion 3:47
8- Go Go Girls 3:02
9- Pra Te Dar 3:26
10- Robin's Theme 3:20

Bonus track 

11- Fashion (Multiplex RMX) 4:09
13- Dark Room (Level Club RMX) 7:04

* O álbum não foi lançado em vinil.

** Não confunda a canção "Chanel 2004" com "Chanel 2014"! Tratam-se de versões diferentes! 

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Daniela Mercury - Nobre vagabundo remix (single promocional)

Capa

Tanto quanto a versão original, o remix da música Nobre vagabundo, da cantora Daniela Mercury, também é direcionado para animar a programação musical de rádios e afins. A música foi lançada em single promocional, em 1996, pela gravadora Sony, e recebeu três remixes, ou quase isso, que foram produzidos por Paul Ralphes.
Contracapa

Apesar da canção ser ótima para sacolejar moderadamente os ouvintes, os remixes são de pequena duração e não funcionaram na pista de dança! As versões ficaram iguais e seguem a base melódica da faixa original com referências do Reggae, apenas. Ou seja, a versão original é boa, mas os remixes ficaram repetitivos e sem sabor.

Lembramos que a graça do remix - independente de ser dançante ou não dançante – é causar admiração, instigar a criatividade, provocar, mexer com a emoção das pessoas, acariciar os ouvidos, despertar sensações de felicidade e muita vibração.

O single possui as seguintes versões:

1- Nobre Vagabundo (versão original) 3:53
2- Nobre Vagabundo (Pulso Reggae Radio Remix) 3:18
3- Nobre Vagabundo (Pulso Radio Remix I) 3:15
4- Nobre Vagabundo (Pulso Radio Remix II) 3:18
CD

* Até o momento não há informações que o single tenha sido lançado em vinil.

** Na sequencia podemos ver o encarte diferente do single da canção Nobre Vagabundo, que foi editado em Portugal.

Contracapa

terça-feira, 12 de junho de 2018

LUKA - Porta Aberta remix (single promocional raro)

Capa do single simples

Para a felicidade dos fãs e de alguns colecionadores, existem informações sobre remixes de músicas brasileiras que somente o blog Brasilremixes consegue disponibilizar, com a ajuda dos internautas - é claro!. Por isso, com muito orgulho esclarecemos ao mercado musical brasileiro confuso, a existência de um single com remix para a canção Porta Aberta da cantora Luka.

Lembrando: A cantora Luka ganhou fama no mercado internacional e brasileiro, através do remix da canção "Tô nem aí". Entretanto, depois do sucesso, existe uma grande expectativa do público e do mercado, se o artista irá conseguir emplacar uma nova música tão boa quanto, ou melhor, que a canção antiga.

No caso dos remixes a expectativa é dupla, pois não basta que a canção chegue ao estrelato. O remix também deve fazer sucesso tanto quanto a versão original! Essa regra é válida para todos os artistas.

Especificamente falando da canção Porta Aberta, tanto a versão original, quanto o remix, não conseguiram repetir o estrondoso sucesso da música anterior.

Isso significa que a melodia original e o remix ficaram ruins?

Não!!! Ter êxito musical de forma contínua é uma tarefa árdua, pois depende de vários fatores. Para essa postagem não ficar gigante, vamos citar o exemplo da cantora Madonna. Ou seja, dezenas de canções lançadas por ela podem ser interessantes, mas não significa que “todas” as canções e “todos” os remixes irão fazer sucesso! Afinal, depende da melodia, da proposta da canção, da criatividade, da promoção, do artista, do interesse do público, da vibração da pista de dança, da moda musical, de aceitação, da divulgação, enfim....

Não existe o conceito de “cantou, remixou e o sucesso está garantido!” Nada está garantido na música, por melhor que ela seja ou por melhor que ela tenha sido produzida!
Imagem do single promocional com remix

A canção Porta Aberta foi originalmente lançada em 2003 e no ano seguinte ganhou um remix produzido pelo Dj Alessandro Tausz. O Cd single com remix foi distribuído de forma promocional pela Greensongs. A versão remixada é bem dançante e festiva. O dj utilizou uma base melódica pop com ênfase na House music e pitadas de tribal, mas a canção não caiu no gosto popular, Infelizmente. Valeu pela tentativa.

O Cd single possui as seguintes versões:

1-Porta Aberta – Album version
2-Porta Aberta – Radio Tausz RMX
3-Porta Aberta – Extended Tausz RMX
4-Porta Aberta – Álbum Tausz extended

Logo abaixo podemos ver a imagem de outro single promocional da canção Porta Aberta, que foi lançado na Alemanha, com uma versão acústica e sem o remix.
Capa
Contracapa
CD

* O single não foi lançado em vinil.

** Agradecimento especial ao Dj Werick Canellas, por ter gentilmente fornecido as imagens do single promocional para ilustrar a postagem de hoje. 

domingo, 3 de junho de 2018

Nu Tropic feat. Fernanda Porto - Leva e traz (single europeu)

Capa

Nu Tropic é a proposta musical da dupla francesa Jazzamar e dj Link. Em 2004 lançaram um single vinil 12” com a música Leva e traz, interpretada pela cantrora brasileira Fernanda Porto.

Antes da falar sobre a canção, é preciso refletir a respeito de parte da musicalidade mundial. Isto é, tem uma galera que trabalha, que ouve e que gosta de um determinado estilo de música com arranjos jazzísticos, toques de contemporaneidade e canções agradáveis e melhor elaboradas. Ao mesmo tempo, essas pessoas com.....digamos, um apreço melódico diferente, gostam de músicas cantadas em português, gostam de Bossa Nova e da ginga musical brasileira, temperada com Donwtempo e com um pouco de malevolência tropical.
Jazzamar (Amar Kabouche) e DJ Link (Luc Tharin)
(imagem/reprodução)

Pois bem, uma parte desse público, contempla a melodia e o tom atmosférico das canções. Essas pessoas não ouvem apenas a música de consumo e depois jogam fora esperando o próximo lançamento. Então, quando a música popular brasileira não satisfaz ao interesse deles, eles convidam um cantor(a) de sua preferência para interpretar uma canção feita ao gosto musical gringo.
Contracapa

De forma geral, percebe-se que essa turma gosta de artistas como: Bebel Gilberto, Azymuth, Salomé de Bahia, Sergio Mendes, Marcos Valle, Jorge Morelenbaum, entre outros. E, também adoram as compilações musicais do Brazilectro, por exemplo. É notório que eles não estão preocupados com Anitta, Gustavo Lima ou com o bonde das popozudas. Afinal, a história e o desejo musical deles possui outras vibrações! Diante desse cenário, Fernanda Porto acabou sendo escolhida para interpretar a música Leva e traz. A canção abraça o estilo do Drum´n´bass, e é indicada para djs que trabalham com o conceito musical de Lounges e Chill outs. O single possui a versão original + dois remixes e foi lançado pela gravadora independente, Comet Records.

LADO A
A1- Leva E Traz (Original Mix)

LADO B
B1- Leva E Traz (10 A.M.Mix)
B2- Leva E Traz (Solar Apple Quarktette Mix)

* O single foi lançado em vinil 12” e no formato digital. Mas, por enquanto não foi oficialmente editado no Brasil. Para ouvir as versões clique aqui!

** Os fãs de Fernanda Porto não irão achar essa canção na discografia da cantora, mas na discografia do projeto chamado Nu Tropic.

*** Não confunda Jazzamar (pseudônimo artístico de pessoa) com a banda Jazzamor. Coincidentemente estão no mesmo conceito musical, mas são projetos diferentes. Na procura por informações, algumas pessoas poderão pensar em erro ortográfico e confundir as coisas. Porém, alertamos que Jazzamar com “a” é um artista do projeto Nu Tropic, da França. Jazzamor com “o” é outro artista/grupo da Alemanha!