domingo, 22 de dezembro de 2013

Vanessa da Mata – Ai Ai Ai... remixes (single promocional e single comercial)

Capa - single comercial

Hoje trazemos um dos singles mais deliciosos e mais aguardados dos últimos meses. É o remix oficial da música Ai Ai Ai... da cantora Vanessa da Mata. A melodia sacudiu playlists de djs no Brasil inteiro, fazendo literalmente com que o povo se jogasse na pista até o amanhecer. Além de alcançar muito sucesso em programas de rádio, a canção foi responsável por elevar a carreira musical da cantora e por apresentar ao Brasil o trabalho de um novo produtor e remixer conhecido pelo nome de Deep Lick!

Vanessa da Mata é cantora e compositora. Nasceu no estado de Mato Grosso e seu estilo musical está voltado para a música pop, Mpb e R&B. A letra da canção é jovem, dinâmica e suavemente libidinosa, dispensando comentários. A versão original de Ai Ai, Ai...,  apareceu no álbum “Essa boneca tem manual” lançado pela cantora em 2004. Porém, somente em 2006 a música Ai Ai Ai.... estourou nas rádios e danceterias, devido ao remix produzido pelo DJ e produtor Deep Lick.

Aqui estão o single comercial e o single promocional lançados em vinil 12" com as seguintes explicações:
Contracapa - single comercial 

O single comercial foi produzido na Itália pela Planet records e distribuído na Europa com a versão original, um remix  para programas de rádio e um remix para os clubes:

1 – Ai, Ai, Ai,... – Deep Lick Club Remix 8´41
Análise: Os arranjos iniciais do remix com influências da house music são tímidos, mas progressivos para garantir a mixagem da canção com outras melodias sem perder o pique no dance floor. De fato, a música começa a ser cantada aos 2m e 57s e chega ao ápice com o irresistível “Ai, Ai, Ai,.......” que a galera gosta de cantar bem alto como se participasse da canção. Em seguida temos uma paradinha para tomar fôlego e a continuação do festerê, até o delinear do bassline final. O charme do remix foi a adição de um sample “orquestrado” da disco music e um pouco de percussão livre que acompanham  algumas partes da melodia.

2 – Ai, Ai, Ai,... – Original Mix 4´13
Análise: Versão original igual a versão apresentada no álbum.

3 – Ai, Ai, Ai,... – Deep Lick Radio Edit 3´49
Análise: Versão igual ao remix principal, mas editado para tocar em programas de rádio.

O single promocional foi distribuído no Brasil pela SONY/BMG contendo três versões:

LADO A
1 – Ai, Ai, Ai,... – Beatmasters na estrada Mix 5´15
Análise: Remix mais suave e suingado, mas não tem nenhuma ligação com os produtores europeus do The Beatmasters.

2 – Ai, Ai, Ai,... – Apavoramento Mix 7´07
Análise: Um remix dançante bem modesto se comparado ao remix principal feito pelo DJ Deep Lick. Diria que se trata de um remix diferente, mais harmônico que explora a ambiência sonora proporcionada pela voz da cantora, com a adição de riffs de bateria eletrônica simples.

LADO B
1 – Ai, Ai, Ai,... – EP Lick Club Remix 8´41
Análise: Remix igual a versão Deep Lick Club Remix

Na sequência você pode ver a imagem do Cd single promocional distribuído no Brasil, pela gravadora Sony, que traz mais remixes (total de seis versões) que o single comercial e o single editado em vinil 12".
Capa 
Detalhe do encarte e CD


1 - Ai, Ai, Ai,... - Beatmasters na estrada Mix 5´15
2 - Ai, Ai, Ai,... - Beatmasters na estrada Edit Mix 3´36
3 - Ai, Ai, Ai,... - Apavoramento Mix 7´07
4 - Ai, Ai, Ai,... - EP Lick Club Remix 8´41
5 - Ai, Ai, Ai,... - Deep Lick Radio radio Remix Edit 5´30
6 - Ai, Ai, Ai,... - Miami Electro Mix 3´59

* Agradecimento especial ao leitor Anderson S. Vieira,  que gentilmente forneceu as imagens do single promocional editado no Brasil pela gravadora Sony. 

** Ainda é possível comprar os remixes em sites que comercializam músicas em formato digital.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Capital Inicial - Kamikase remix (single promocional raro - item de colecionador)

Capa

Para a surpresa de muitos leitores, fãs e colecionadores, orgulhosamente apresentamos o single remix da canção “Kamikase” da banda Capital Inicial. Este single vinil 12” foi divulgado promocionalmente em 1992 pela gravadora BMG-Ariola, para promover o álbum “Eletricidade” que havia sido lançado no ano anterior.
 
Contracapa

Não há registro impresso na contracapa do disco destacando o nome do produtor do remix. Sabemos que a canção foi produzida e mixada por José Almeida e Paulo Farah, mas não significa que os mesmos tenham remixado a canção, pois nem sempre quem produz a música faz o remix!

Basicamente a versão é uma mistura de rock com samples de melodias eletrônicas e bateria industrial que lembram 2 Limited e Depeche Mode em início de carreira. Enfim, um verdadeiro “technorock” com guitarras pesadas e muita atitude. Porém, se o objetivo do remix era agitar a pista de dança, esqueça! O resultado vai decepcionar. Por outro lado, a canção é perfeita para animar festas alternativas promovidas por clubes como o lendário Madame Satã, em São Paulo.

Este single traz a versão "remix" e "remix dance" que praticamente são iguais:

LADO A:
1- Kamikase – Remix  3´21

LADO B:
1- Kamikase - Remix dance 4´21

* Agradecimento especial ao DJ Cleberson Ribeiro por ter gentilmente fornecido as imagens do single que faz parte de sua coleção, para informar e ilustrar a postagem de hoje. Aliás, em breve outros singles desconhecidos do público também serão postados pelo blog.

domingo, 8 de dezembro de 2013

Ritchie - A mulher invisível remix (single promocional - Item de colecionador)

 Capa

O  single vinil 12” promocional da canção “A mulher invisível re-mix versão longa” do cantor Ritchie, trazia o seguinte texto em sua contracapa:
 
“Já um grande sucesso em todo o Brasil, “A mulher invisível” chega agora em sua versão longa, um mix exclusivo para emissoras de rádio e danceterias (este disco não será colocado à venda). A canção faz parte do novo LP de Ritchie ....E a vida continua...e é uma prova do talento e da inovação do roqueiro que conquistou todo o Brasil. “

Explicação:

A música “A mulher invisível” foi incluída no segundo disco do cantor chamado “E a vida continua...”, o qual, era aguardado com muita expectativa por fãs e pelo público, após o estrondoso sucesso de seu LP anterior que trouxe o mega hit “Menina Veneno, entre outras canções de grande êxito do artista. A letra da canção traz a história clássica da mulher fatal e absoluta que povoa grande parte dos sonhos eróticos masculinos. A versão remix da música é muito interessante para ser ouvida em programas de rádio ou em longas viagens de carro, mas no contexto geral, a melodia não funciona na pista de dança por ser considerada muito “calma”. Visto que, a danceteria exige mais adrenalina e mais festerê.
 
Detalhe da capa

Na época de lançamento em 1984, foi uma novidade interessante no cenário pop rock brasileiro. Porém, lembramos que o estilo musical adotado pelo cantor Ritchie, esta mais voltado para música pop do que para o rock n roll!.
Contracapa

Este single possui apenas uma  canção:

LADO A

 
1- A mulher invisível - Versão longa  6´10

LADO B

1- A mulher invisível - Versão longa 6´10

* Na prática não se trata de um remix, mas apenas uma versão mais alongada da canção.

 ** Como aparece no texto em negrito que foi impresso no verso da capa do disco, infelizmente o (re-mix versão longa) não foi comercializado. O que de certa forma torna este single vinil um objeto raro e cobiçado por vários colecionadores de remixes e fãs do artista. 

*** Este disco vinil 12" não foi lançado em CD single.

**** Agradecimento ao dj Renato por ter fornecido as imagens para ilustrar a postagem de hoje!     

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Kiko Zambianchi - KZ (álbum + remixes)


Capa 

Após o cantor Lulu Santos fazer muito sucesso em 1995, depois de ter lançado o ótimo álbum de remixes “Eu e memê, Memê e eu”, diversos artistas brasileiros também aproveitaram o momento “dance popular brazuca”. Entre eles, destacamos o cantor e compositor Kiko Zambianchi, que apresentou em 1997 o álbum “KZ, pela gravadora Warner Music. Entretanto avisamos que não se trata de um álbum dançante, mas de um trabalho que apresenta musicas novas, regravações e alguns remixes.


Encarte 1

O álbum em si, quase passou despercebido no cenário musical brasileiro.  Aliás, também pudera!!! Com algumas exceções, o resultado ficou confuso e insatisfatório!  Pra começar, mesmo conhecendo a capacidade artística do cantor, o álbum beira a obviedade e acaba se diluindo em melodias enfadonhas e sem graça. O remix da canção “Jóia” produzido pelo DJ Mau Mau, além de ficar repetitivo, possui arranjos iniciais de sintetizador insuportavelmente chatos! A concepção de arte do álbum perdeu-se  entre o moderno e o retrô, com imagens mal produzidas que apresentam o cantor fazendo pose de mágico do tipo “Shazam” e com cara de fantasma de óculos escuros!! Quanto aos remixes das outras canções, o resultado é fraco, servindo apenas para tocar em programas de rádio bem longe dos clubes! Resta aos fãs aguardar por novos remixes mais vibrantes! Quem sabe, um dia......
Encarte 2

O álbum apresenta as seguintes faixas:

1 Só Uma
2 Noite de Luz
3 Palco
4 Você Me Atrai
5 Jóia
6 Manifesto
7 Flor de La Noche
8 Quadro Vivo
9 Centro do Universo
10 Choque
11 Eu Te Amo Você

+ remixes

12- Jóia - Remix 6´07 (produzido pelo Dj Mau Mau)
13- Primeiros Erros (Chove) - Remix 3´57(produzido por Maurício Monteiro)
14- Rolam as Pedras - Remix 3´52(produzido por  Maurício Monteiro)
15- Eu Te Amo Você - Remix 3´00 (produzido por  Maurício Monteiro)
16- Choque - Remix 4´42 (produzido por Maurício Monteiro)
17- Primeiros Erros - Remix 4´0 (produzido pelo Dj Cuca)
CD

Na sequência você pode ver a imagem do Cd single remix promocional da canção “Primeiros Erros”, também editado em 1997. 
1-     Primeiros erros remix by Maurício Monteiro 
2-     Primeiros erros remix by DJ Cuca

*Até o momento não há registro que o álbum tenha sido lançado em vinil

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Titãs - O que remix (single promocional)

Capa 

Voltando para 1986, encontramos o single vinil 12” remix promo nº 39, da canção “O quê” da banda Titãs. Distribuído pela gravadora WEA/Warner, a produção e edição do remix foi assinado pelo dj Iraí Campos e por Tuta Aquino. A remixagem mantém as bases originais da canção e adiciona alguns efeitos eletrônicos de bateria e sintetizador. A versão também inclui uma segunda voz cantada ao estilo Rap e Hip Hop, pelo rapper americano que atende pelo nome de Raven T.

Imagem reprodução 

O tempo de duração da melodia também foi retrabalhado com a utilização de samples e alguns momentos instrumentais chamados no meio musical de “DUBS”. Os leitores do blog já sabem que “DUB” instrumental não tem nenhuma conotação com o “DUB” jamaicano! Certo!” Quanto ao nome do remix “Is it a dub?” (Isso é um dub?), que aparece na faixa dois do lado “B” do disco, pode ser entendido como uma brincadeira feita pela banda para questionar o público sobre o que realmente é um dub?!!

A versão original da música, com letra de Arnaldo Antunes, foi lançada no álbum de sucesso da banda chamado “Cabeça de Dinossauro”. O grupo Titãs trabalha com um estilo musical voltado ao poprock. Entretanto, algumas vezes está mais direcionado ao rock do que para o pop. Aliás, diga-se de passagem, muitos artistas brasileiros e parte da “velha” mídia tupiniquim, não gostam de música “pop” pelo fato do conceito musical ser considerado descartável. Porém, a equipe do blog lembra que tudo na música já sai de fábrica com o prazo de validade vencido. Afinal, em se tratando de melodia, tudo é renovado, reciclado, regravado, remixado...enfim!

Este single contém as seguintes faixas:

LADO A

1-Polícia – versão original 2´07
2-O que – remix extended version 6´40

LADO B

1-O que – remix radio version 4´30
2-O que – remix is it a dub? 4´20

* A canção “Polícia” também foi incluída neste single como parte de divulgação promocional do novo disco do grupo.

** Ao final dos remixes é possível ouvir o rapper dizendo: “Irai Fields” (fields em inglês significa “campos”), Tuta Aquino, Bobby G (Bobby Gordon engenheiro de som que participou da edição do remix) e Titãs.  

*** Pelos remixes apresentados para a canção, há quem diga que as versões estão mais voltadas ao estilo de dance americano tipo as musicas produzidas pelo cantor Prince!

**** Conta a história que o álbum ”Cabeça de dinossauro” foi considerado um divisor de águas do trabalho sonoro da banda, sendo aclamado pela crítica, pelo público e por vários artistas de seguimentos musicais diferentes. Já para a equipe do blog, o álbum é bastante expressivo, mas lembramos que o grupo Titãs apenas agiu de acordo com o desenvolvimento musical com que o mundo estava passando naquele momento.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Claudio Zoli - Noite do Prazer Remixes - single promocional (item de colecionador)

Divulgação

No início do novo milênio (2001/2002) foram distribuídos pela gravadora TRAMA, alguns singles promocionais da canção "Noite do Prazer", do cantor Claudio Zoli. Essa canção foi editada em CD e em vinil para satisfazer as necessidades dos djs, das emissoras de rádio, dos colecionadores e dos fãs do artista. Este single apresenta remixes produzidos pelo Dj Felipe Venâncio, Dj Patife, O Time e Madzoo.

A proposta dos remixes utiliza referências musicais eletrônicas da House Music, R&B e Drum n´bass. No total, o single editado em CD, apresenta dez canções divididas em seis remixes para tocar em programas de rádio + a versão original e três remixes para agitar a galera na pista de dança!  No final, todo mundo fica feliz!
Imagem do CD promocional s/encarte

Este single registra as seguintes versões:

1-Noite do prazer – Versão original 5´13

2-Noite do prazer – Rádio Edit 3´31
3-Noite do prazer – Remix Dj Felipe Venâncio 3´26

4-Noite do prazer – Madzoo & Dj Patife Sessions mix radio Edit 3´31
5-Noite do prazer – Madzoo Sessions mix 3´25
6-Noite do prazer – Remix Pop O Time 3´13
7-Noite do prazer – Remix R&B O Time radio Edit 4´33

8-Noite do prazer – Remix Dj Felipe Venâncio extended 10´52
9-Noite do prazer – Madzoo & Dj Patife Sessions mix extended 6´57
10-Noite do prazer – Madzoo Sessions mix extended 7´37

Na imagem seguinte você pode observar a foto do single editado em vinil 12” promocional, trazendo apenas quatro versões. 
Os remixes postados no disco são iguais aos remixes editados no CD. Mas por motivos desconhecidos o nome dos remixes foram trocados.

LADO A

A1  Noite Do Prazer (A Domestic House Mix Long) 10´52  
A2  Noite Do Prazer (Versão Original)  5´13

LADO B

B1  Noite Do Prazer (Mad Zoo Sessions Mix) 6´57  
B2  Noite Do Prazer (Mad Zoo's & Dj Patife's Massive Sessions)  7´37

Agradecimento especial ao Dj Benno, por ter fornecido as imagens do disco! 

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Promo nacional WEA remix - (Coletânea promocional vários - item de colecionador)

Capa

Apresentamos aos leitores do blog, uma típica compilação promocional divulgada pelas gravadoras, para algumas rádios e alguns djs no Brasil terem a oportunidade de conhecerem o trabalho dos artistas e consecutivamente, tocarem suas musicas. Nesta coletânea musical, distribuída pela WEA em 1997, temos um total de doze canções divididas entre seis músicas e nove remixes de artistas brasileiros como Barão Vermelho, Kid Abelha, Sandra de Sá entre outros.

 
Contracapa

As canções “Soul de verão” e “Te amo pra sempre” também foram distribuídas separadamente em singles promocionais. O single individual da canção “Amor meu grande amor” do Barão vermelho, ainda não foi localizado pelo blog. Quanto aos outros artistas não mencionados no texto, mas que também fazem parte da compilação, não se tratam de remixes, mas apenas de versões iguais as melodias originais lançadas em seus respectivos álbuns.


Mais detalhes...

Na prática, todos os remixes apresentados nesta compilação seguem a linha pop comercial de rádio, bem característico do Brasil nessa época. Mas alertamos que independente do sucesso alcançado  pelas canções, nem todo mundo gostou do resultado final. Como consolo, resta aos fãs esperarem por novos remixes. Visto que, na música tudo é relativo, reciclado e regravável!!

Esta compilação registra as seguintes musicas: 

1 Barão Vermelho – Amor meu grande amor (Miamix Cyberclub Edit) 4´11
2 Barão Vermelho – Amor meu grande amor (Miamix Cyberclub) 5´50

3 Kid Abelha – Te amo pra sempre (Crossover pop mix Edit) 3´51
4 Kid Abelha – Te amo pra sempre (Crossover pop mix) 5´45
5 Kid Abelha – Te amo pra sempre (Crossover Club Edit) 3´30
6 Kid Abelha – Te amo pra sempre (Crossover Club) 4´46

7 Sandra de Sá – Soul de verão (Fame) (Short version) 4´19
8 Sandra de Sá – Soul de verão (Fame) (Long version) 5´20
9 Sandra de Sá – Soul de verão (Fame) (Reggae version) 3´27

10 O Rappa – Hey Joe (álbum version) 4´25
11 Pino Solto – Reggae night (álbum version) 3´22
12 Samburica –  Ladeira do pecado (álbum version) 3´48

CD
 
* Os remixes do Barão Vermelho aparecem no álbum da própria banda chamado “Ao vivo + remixes”. Nos próximos meses o álbum será postado pelo blog.

** Os remixes do Kid Abelha foram incluídos comercialmente na edição especial de platina do álbum da banda chamado "Meu mundo gira em torno de você".

*** E os remixes da cantora Sandra de Sá foram lançados em um single comercial e um single promocional. Em breve, ambos serão postados para os leitores.

**** Não há informação que esta coletânea promocional tenha sido editada em vinil.

domingo, 3 de novembro de 2013

Jorge Vercillo - Todos nós somos um remix ( single promocional - item de colecionador)

Capa 

Em mais de 15 anos de carreira, o cantor Jorge Vercilo tem projetado diversas canções nas paradas de sucesso em vários estados do Brasil. Utilizando a receita musical com bases na MPB e uma pegada melódica mais contemporânea, em 2008 lançou o single da música Todos nós somos um. Este trabalho foi distribuído promocionalmente para rádios e djs, pela gravadora EMI-Odeon, para promover o álbum que leva o mesmo nome da canção. 

Contracapa

O Cd single apresenta a versão original e um remix produzido sem créditos de autoria. Segundo fãs do cantor é muito provável que o remix tenha sido produzido em estúdio. De qualquer forma, a remixagem é simples ao seguir influências da house music moderada, possibilitando a canção um clima mais vibrante que a versão original. Dessa forma, a melodia se torna bem atraente para agitar programas de rádio e pistas de dança mais comportadas.

Este single possui as seguintes versões:

1-Todos nós somos um – versão original
2-Todos nós somos um – versão remix

CD

Não há registro até o momento que este single tenha sido editado em vinil.

domingo, 27 de outubro de 2013

Banda ZERØ – Agora eu sei remix / Formosa (single promocional – item de colecionador)

Capa

Resgatando um grande momento do pop rock nacional na década de 80, apresentamos o single remix da canção “Agora eu sei” da banda ZERØ. O grupo surgiu em 1983 no estado de São Paulo e seu estilo musical passeava entre o pop rock, new wave, new romantic e até algumas influências do synth pop. O sucesso comercial da banda em várias partes do Brasil, ocorreu após o lançamento de seu o disco de estreia chamado “Passos no Escuro”, em 1985, pela gravadora EMI-Odeon.
Banda ZERØ na década de 80 / imagem reprodução

Neste álbum, as canções “Agora eu sei” e “Formosa” ganharam notoriedade em várias emissoras de rádio e agitaram o set de diversos djs pelo país. Pelo sucesso alcançado com as vendas do LP “Passos no escuro”, a banda ZERØ recebeu o disco de ouro. Nessa faze, o grupo era formado por Guilherme Isnard nos vocais, Eduardo Amarante (ex-Agentss e Azul 29) na guitarra, Ricky Villas-Boas (ex-Joe Euthanázia) no baixo, Freddy Haiat (ex-Degradée) nos teclados e Athos Costa (ex. Tan-Tan Club) na bateria.

 Contracapa 
A canção "Agora eu sei" também contava com a participação de outro ícone dos anos 80, o cantor Paulo Ricardo, líder a banda RPM, que também estava no auge do sucesso com seu grupo pelo Brasil. O remix deste single vinil 12” foi produzido pelo dj Irai Campos com participação de Guilherme Canais. O disco apresenta as versões remix e a capella + a versão original da música “Formosa”. A qual, também recebeu um remix editado e distribuído separadamente, que em breve será postado pelo blog.

No remix de “Agora eu sei” o dj Irai Campos junto com Guilherme Canais mantiveram a estrutura original da canção, limitando-se a adicionar algumas passagens melódicas instrumentais (dubs), que deixaram a música mais longa. No caso da versão a capella, trata-se apenas de uma versão sem os riffs de bateria, permitindo que fãs e ouvintes tenham a possibilidade de apreciar a desenvoltura vocal do cantor.

LADO A


1- Agora eu sei – Nova versão remix 6´00

LADO B


1- Agora eu sei – Versão a capella 5´01

2- Formosa 4´17

*Não há informação que este single tenha sido editado em CD.

** Como você pode observar na impressão da contracapa do disco, o remix também foi chamado de “nova versão”.
*** Existem algumas informações não confirmadas sobre a existência de outros remixes para a música Agora eu Sei. São eles: versão eletrofunk e versão house.

**** Em 2000 a banda lançou um Cd chamado Eletro acústico e mais um outro  CD single promocional para a canção Agora eu sei, trazendo as seguintes versões: electro acústico rádio, electro acústico extended, versão electro, versão electro extended e versão acústica.

*** A equipe do blog Brasilremixes agradece ao colecionador, radialista e DJ Cleberson Ribeiro por ter gentilmente, fornecido as imagens do tópico de hoje; para que os fãs e o público em geral pudessem ter a oportunidade de conhecer e saber um pouco mais sobre este single de remixes da banda ZERØ. 

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

FAT FAMILY – Madrugada / Eu não vou remixes (single promocional – item de colecionador)


Capa 

Com influências da Black music americana e uma afinada composição vocal,  o grupo Fat Family  lançou em 1999,  o Cd chamado FAT FESTA pela gravadora EMI Odeon. Entre várias canções, duas musicas ganharam destaque na mídia e foram lançadas promocionalmente em single remix. São elas: “Madrugada” e “Eu não vou”. Um fato que chama a atenção de fãs e do público foi o lançamento de dois singles de remixes diferentes para promover as mesmas canções. Algo até então, pouco comum no mercado musical brasileiro. 

Encarte

Os remixes produzidos pelo pessoal do Hitmakers, seguem a linha pop dançante comercial recheada de influências da Black music, perfeitas para serem tocadas em programas de rádio. Em virtude do tempo limitado das canções, infelizmente, nem todos os remixes serviram para agitar o povo do festerê!  Mas, vale pelo registro e aguardamos novas versões e regravações no futuro!  Como de praxe, no que se refere a singles promocionais brasileiros, não há informações sobre qual dos dois singles foi distribuído por primeiro no mercado para promover a divulgação do álbum. De qualquer forma, aqui estão eles com suas respectivas canções:
 
CD single FAT Festa

1 - Fat Family – We are Family
2 - Madrugada - Versão original 4´39
3 - Madrugada - Versão Hitmakers radio black 3´36
4 - Madrugada - Versão Hitmakers “B” radio 3´32
5 - Eu não vou - Versão original 4´06
6 - Eu não vou - Versão Hitmaker´s radio Edit 3´20

CD

CD single FAT Family – Madrugada / Eu não vou (versões originais e remixes)

 Capa

Encarte

1- Madrugada – Versão original 4´39
2- Madrugada – Hitmakers radio Black 3´06 
*(também conhecida como "Charme remix")
4- Madrugada – Hitmakers “B” radio 3´32
5- Madrugada – Hitmakers “B” Extended 4´42 

6- Eu não vou - Versão original 5´07 
7- Eu não vou - Hitmakers radio Edit 3´20 
8- Eu não vou - Hitmakers extended mix 4´35
CD

*Até o momento não há registro que este single tenha sido editado em vinil 12”.

Na imagem seguinte você pode ver a capa do single promocional simples, que trás apenas a versão original da canção. 

**Não confunda o “álbum” Fat Festa como o “single”  Fat Festa!

***No Cd single “Fat Festa” foram incluídas seis faixas com apenas quatro remixes.

****No Cd single “Versões originais e remixes” foram incluídas oito faixas e seis remixes.

*****Na imagem abaixo você pode ver a capa do Cd álbum chamado Fat festa!

terça-feira, 15 de outubro de 2013

AMP MTV BRASIL 02 - Coletânea Vários

Capa

Relembrando parte da história musical eletrônica brasileira, trouxemos hoje a ótima compilação chamada AMP MTV 2. Este projeto segue a linha musical apresentada anteriormente na coletânea AMP MTV 1, (que já foi postado pelo blog e você pode rever clicando aqui!). Nesta edição, lançada em 2002 pela Muquifo Records/Sony, foram incluídas 14 canções produzidas por vários Djs e produtores musicais. São eles, DJ Marky, DJ Mau Mau, Anderson Noise, Cosmonautics (Mad Zoo & DJ Patife), DJ Murphy, XRS, Dj Andy, Philip Braunstein, Nego Moçambique entre outros. 

Encarte 

Melodicamente falando, o Cd possui uma pegada forte na batida sintetizada trazendo influências musicais que vão do Techno, Drum n´bass, Breakbeats, Trance, Tech-House até chegar aos beats moderados do Downtempo.  Independente do programa “AMP” - apresentado pela MTV - ser considerado uma droga por muitos telespectadores, a coletânea possui uma trilha musical muito boa. É um belo registro de canções eletrônicas produzidas por artistas nacionais que possuem um nível de desenvolvimento tão próximo aos artistas internacionais que trabalham no mesmo gênero.  “....Vâmo pro agito galera!” 

Este Cd apresenta as seguintes canções:


1- 1974 – Superágua  3´42
2 - I Need You – Cosmonautics (Patife + Mad Zoo)  4´41    
3 - Dia de Sol – XRS (participação especial: Gilberto Gil)  3´20  
4 - LK (instrumental version) - DJ Marky + XRS  4´28        
5 - Gil para B-Boys – Nego Moçambique  7´10        
6 - Nonsensi - Jonas Rocha  4´55       
7 - Kamasutra – Gabo & Denise  6´59
8 - Space Funk – DJ Mau Mau  3`14    
9 - Você Mesmo – Anderson Noise  6´10      
10 – Anairda – Philip Braunstein          3´57   
11 - Afinidade – DJ Murphy   4´37        
12 - 1 Ghz – Ney + Thiago M  3´01       
13 - Shock Mind – DJ Andy (participação especial Mikrob) 5´04           
14 – Tsunami – Superágua  4´17 

  
Contracapa

CD

*Para ouvir as faixas desta compilação clique aqui!

**Não há registro que esta compilação tenha sido editada em vinil.

MTV e o modelo musical vazio

Já mencionamos em outras postagens, a nossa indignação sobre o posicionamento adotado pela MTV brasileira, pelo fato da emissora não cumprir seu papel de valorização musical de forma ampla. De um lado a emissora afirmava que dava oportunidade para todos os estilos musicais, mas do outro, a prática, não correspondia ao seu discurso de palanque. Isto é, uma emissora de televisão musical direcionada apenas pra valorizar e prestigiar o rock. 
Em dado momento, a MTV se posicionou como vítima afirmando que não podia competir com o formato de visualização de vídeos apresentado por sites como Youtube.  Ora,  como assim!? A MTV não pode, mas o You tube pode? Então por esse e por inúmeros outros motivos, a equipe do blog considera a MTV como a maior decepção musical midiática brasileira. Tá certo que a MTV não era tudo, mas tanto seus comerciais, como seus apresentadores atuavam da mesma forma como os tradicionalistas no sul do país fazem. Isto é, posam que são os melhores do Brasil, mas na prática, representam um grande saco furado. Lamentável!

Dinheiro x música

Não tem dinheiro para pagar os vídeos de música eletrônica, mas tem dinheiro para patrocinar o rock n´roll! Certo! E quando acabar o dinheiro patrocinado para tocar rock n´ roll ou quando as pessoas enjoarem de rock, você vai fazer o quê? Programa humorístico? Ficar de braços cruzados vendo o tempo passar? Você pensa que o mundo gira em torno de um único estilo musical? Tudo acontecendo na música no Brasil e no planeta inteiro, e a MTV posando de Deusa musical do saco vazio!!?  Fora meu! Tá fora de noção sobre passado-presente-futuro!!! A sociedade está cheia de coxinhas e oportunistas querendo manipular a educação musical das pessoas! Hoje, em vários setores midiáticos é preciso ter duas atitudes. Ou você assume uma proposta musical democrática com sentido amplo ou você se caracteriza num determinado segmento, com todas as alegrias e tristezas que sua escolha possibilitou. A MTV escolheu ficar em cima do muro, desejando agradar a todos e no final acabou não agradando a ninguém! Fechou as portas e teve que abandonar o modelo musical ultrapassado! Já vai tarde!